Sacola de Compras

* Calcule seu frete na página de finalização.

* Insira seu cupom de desconto na página de finalização.

06/06/2019

Efeitos positivos de alucinógenos no cérebro

Cientistas mostram efeitos positivos de alucinógenos no cérebro

Em experimento, pesquisadores revelam que substância presente no ecstasy e na ayahuasca pode estar associada a tratamentos psiquiátricos

“Pela primeira vez pudemos descrever mudanças relacionadas a psicodélicos no funcionamento do tecido neural humano”, disse o principal autor do estudo, Stevens Rehen, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor).

Até então, a identificação dos circuitos moleculares envolvidos na ação dos psicodélicos no cérebro era limitada por restrições legais em relação a essas substâncias e pela falta de ferramentas biológicas apropriadas.

Minicérebros

De acordo com os pesquisadores, o novo achado ajuda a explicar estudos anteriores que mostravam resultados positivos em relação a drogas alucinógenas. No experimento, eles observaram como uma dose de 5-MeO-DMT – um composto de dimetiltriptamina, presente em drogas como o MDMA(ecstasy), o LSD e o chá da ayahuasca, planta amazônica utilizada em rituais indígenas para atingir estados alterados de consciência – agia em organoides celulares, conhecidos como “minicérebros”, células neurais tridimensionais que imitam um cérebro em desenvolvimento.

Efeitos positivos

Esses “minicérebros” foram submetidos a uma análise proteômica, um mapeamento do conjunto de proteínas, para que fosse possível analisar as alterações e identificar o papel de cada uma das milhares de proteínas presentes no cérebro.

Dessa forma, os cientistas, entre eles Vania Dakic, do Idor, e Juliana Nascimento, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), descobriram que componentes centrais do funcionamento do cérebro – proteínas importantes para a formação das sinapses, como as relacionadas aos mecanismos de aprendizado e memória – tiveram uma regulação positiva.

Além disso, de forma surpreendente, proteínas associadas à inflamação, à degeneração e à lesão cerebral tiveram uma regulação negativa, mostrando que a substância psicodélica também pode ter um papel na proteção neural.

Drogas

Asim como a cannabis, as drogas alucinógenas estão ganhando cada vez mais espaço em experimentos e pesquisas científicas a fim de desenvolver novas terapias para problemas psiquiátricos como stress pós-traumático, ansiedade, depressão e até mesmo dependência de drogas, como álcool, cocaína, heroína e crack.

Fonte: Revista Veja